Sufixos

No idioma japonês, há um vasto conjunto de títulos honoríficos que servem para dirigir-se a pessoas ou referir-se a estas com respeito. Tais formas de tratamento seguem o nome de um indivíduo, da mesma forma que um sufixo.

San (さん) é o mais comum de todos e, provavelmente, o mais conhecido fora do Japão. É usado para referir-se a alguém de mesma hierarquia, quer etária, quer profissional. Aplica-se tanto a homens como a mulheres, e a tradução mais próxima ao português é senhor e senhora. Sempre se utiliza na segunda ou terceira pessoa.
Por exemplo, se um operário referir-se a um colega de trabalho de mesmo nível, chamado Arima, este será chamado de Arima-san.
Caso se desconheça o nome e o sobrenome da pessoa que exerça uma profissão, san também poderia ser empregado.
Por exemplo, um açougueiro (肉屋, nikuya?) seria chamado de nikuya-san.
Outro uso do título ocorre quando um integrante de uma entidade refere-se a outra entidade.
Por exemplo, o gerente de uma empresa que quisesse falar sobre outra empresa, nomeada Kojima Denki, poderia mencioná-la como Kojima Denki-san.

O sufixo 君 kun é bastante utilizado na relação “superior falando com um inferior” para se referir ao inferior. Também é utilizado entre jovens quando existe alguma intimidade.

Emprega-se Chan (ちゃん) para demonstrar informalidade, confiança, afinidade ou segurança com a outra pessoa, na maior parte das ocasiões do sexo feminino. Para acentuar a informalidade, pode-se atribuir chan à inicial da outra pessoa.
Por exemplo, uma mulher chamada Ichitaka pode ser chamada de I-chan por alguém próximo a ela.

Senpai (先輩) é o sufixo para tratar colegas mais velhos ou figuras mentoras. Aplica-se a estudantes mais velhos de escolas, a atletas mais experientes, etc.

Kōhai (後輩) é o contrário de senpai, usado para referir-se aos mais jovens. Porém, não é normal tratar alguém diretamente com este sufixo, pois seria rude. Ao invés de kōhai, é preferível kun.

Sama (様) é a versão formal de san, sendo utilizado para tratar pessoas de altíssima posição ou importância, como imperadores e deuses. A imprensa japonesa costuma mencionar as mulheres da família imperial japonesa com este tratamento (Masako-sama, por exemplo). Os cristãos japoneses, ao rezarem, chamam Deus de Kami-sama e Jesus de Iesu-sama.
Na comunicação dentro do comércio, é comum ouvir o-kyaku-sama (senhor cliente) de vendedores que querem demonstrar respeito e deferência.

Shi (氏) é usado na escrita formal, para referir-se a uma pessoa que o interlocutor não conhece pessoalmente, mas conhece através de publicações. Aparece em documentos legais, diários, jornais, publicações acadêmicas, entre outros escritos.

Sensei (先生), é usado para referir-se ao seu professor, ou mestre.

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: